Líderes adolescentes e jovens

A 14ª edição da Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores será realizada de 12 a 26 de janeiro de 2020 com o tema ‘O Corpo de Cristo’. O currículo terá como texto central a Carta aos Efésios e dará ênfase à inteligência emocional. <veja a página de matrículas>

Pacificadores e a visão missionária

Sob vários aspectos, nossa escola de liderança Pacificadores é evidência do sucesso de nosso trabalho de promoção da Visão 2030 de evangelização mundial e uma oportunidade para parcerias duradouras. Várias igrejas enviaram adultos observadores ou alunos que trabalham na liderança de ministérios com crianças, adolescentes e jovens, com o intuito de aprenderem conosco as melhores práticas de evangelização e pastoreio. Esses alunos tiveram uma matéria especial com 12 horas de aula sobre a construção da fé. A matéria abordou as diferentes configurações cerebrais conforme a idade, a fé especializada de cada uma e as melhores práticas para sua construção. 30 alunos participaram desse curso e avaliaram como decisivo para a remodelação dos ministérios em que atuam. Duas igrejas que já solicitaram nosso trabalho de consultoria para reestruturar seus ministérios de adolescentes enviaram participantes, uma delas, psicóloga, considerou que o conteúdo apresentado a ajudou na reformulação do conhecimento que adquiriu na universidade, permitindo a aplicação prática na igreja, de acordo com as Escrituras.

Pacificadores e os líderes adolescentes

Pacificadores fornece uma capacitação efetiva em liderança, a começar da auto-gestão, em que os alunos utilizam os 10 mandamentos bíblicos como código de conduta pessoal, sem que a escola estabeleça outra regra além dos horários. Nesse ano, a estreia da matéria ‘Royal Teens’, 10 princípios de liderança conforme Jesus, produziu um impacto de lucidez sobre o que é liderança e como ela deve ser exercida. A matéria PLANTEO (Planejamento tático, estratégico e operacional) levou os alunos a desenvolver um planejamento de ministério e muitos já o estão executando na transferência de conteúdos que aprenderam. Em uma atividade especial de orientação para vocacionados, 50 alunos, cerca de metade, se apresentaram para o ministério em tempo integral e deram mais um passo nessa direção. Três alunos se apresentaram para iniciar o processo de se tornarem missionários em tempo integral na Agência Missionária AMME. Vários alunos se apresentaram como voluntários e alguns estão sendo integrados em diferentes atividades. A própria escola consiste em uma plataforma de liderança, que facilita o desenvolvimento de novas propostas e a transferência de conhecimentos para a Igreja.

Pacificadores e saúde ministerial

Consideramos um ministério saudável aquele que tem recursos suficientes (humanos, materiais e estruturais) e os administra com eficiência e eficácia. Essa diretriz é bem exteriorizada na nova geração de líderes que estamos edificando, na medida em que boa parte dos alunos, mesmo muito jovens, se responsabiliza pelo custo de sua inscrição na escola Pacificadores além do transporte e outros custos. Em 2019, muitos alunos produziram e venderam alimentos, roupas e outros ítens. Um aluno em particular, que celebrou o fato de ter sido demitido e poder vir à escola, vendeu carteiras de plástico em ônibus durante meses, com isso pagou seus custos. Outro aspecto que mostra a saúde ministerial aplicada internamente é a adaptabilidade e sinergia de nossa equipe. Com apenas 12 missionários e 5 voluntários, realizamos toda a escola, desde a propaganda até o cuidado pessoal de cada aluno. Nossos missionários, acostumados a trabalhar com logística e treinamento para a evangelização, se tornaram professores, conselheiros, enfermeiros, decoradores, animadores, esportistas, sempre em total sintonia, atentos aos resultados a serem alcançados. Isso é saúde ministerial.

Pacificadores e a Visão 2030

A AMME evangelizar endossou o movimento Visão 2030 e nossa Escola de Liderança para Adolescentes e Jovens – Pacificadores atende a essa visão: Fazer uma apresentação do Evangelho a cada criança, adolescente e jovem de cada país do mundo até o ano 2030 e estabelecer um Sistema funcional que permita repetir essa tarefa a cada 15 anos. Já na 13ª edição, a escola Pacificadores trabalha sob o princípio de que adolescentes são tanto alvos como agentes da evangelização. Com isso, realizamos a recente edição da escola de 6 a 20 de Janeiro, com o tema ‘em espírito e em verdade’, dando ênfase à inteligência spiritual. Foram 140 horas de currículo, com 10 matérias que provocaram um profundo impacto na vida de 100 participantes com idades de 14 a 24 anos e outros 6 observadores adultos, vindos de 12 estados da federação e de todo o tipo de denominações evangélicas. Ao final, a maioria dos alunos descreveu a escola em termos de transformação profunda e lições duradouras. Nessas 13 edições, é infalível que Pacificadores seja uma experiência tanto exaustiva como produtiva e razão de muitas alegrias.

Verdadeiros adoradores

Live de abertura do ano AMME 2019 e de preparação para a 13ª edição da Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores. Mensagem expositiva (TT) de João 4:24 do pastor José Bernardo, fundador e presidente da agência missionária AMME.

Em espírito e em verdade

“Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade” Jo 4:24.

Jesus conversava com uma mulher, de uma religião herética (samaritana) e pecadora. Quando mostrou conhecimento sobre sua vida, ela o reconheceu como profeta, então apresentou uma questão que lhe era fundamental: Deus devia ser adorado em Samaria ou em Jerusalém? Foi essa resposta que levou a mulher a reconhecer Jesus como o Messias.

Continue lendo “Em espírito e em verdade”

15. Ouve a Palavra e a entende

A Palavra de Deus: Mateus 13:18-23
18 “Portanto, ouçam o que significa a parábola do semeador: 19 Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende, o Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho. 20 Quanto ao que foi semeado em terreno pedregoso, este é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria. 21 Todavia, visto que não tem raiz em si mesmo, permanece pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandona. 22 Quanto ao que foi semeado entre os espinhos, este é aquele que ouve a palavra, mas a preocupação desta vida e o engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera. 23 E, finalmente, o que foi semeado em boa terra: este é aquele que ouve a palavra e a entende, e dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um”.

08. Senhor, Senhor

Devocional dos alunos da Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens. Esse devocional deve ser feito no dia 8 de dezembro. Leia o texto, medite sobre as perguntas no final e ore. (14 minutos de leitura)
……………………..

Quantas vozes há hoje no meio da Igreja! Há pregações de todo o tipo, que apontam para as mais diversas direções. Há igrejas para todos os gostos, e as pessoas não demoram em escolher aquela que mais lhes agrada. O que Deus pensa dessa Babel? Há uns que pregam com tanta propriedade que fazem todos os outros parecerem menos bíblicos. Há aqueles que realizam milagres tão verídicos que não deixam espaço para questionamento. Se há propostas tão divergentes, como estariam todas certas? Quais estariam erradas então, e como identificá-las se o certo e o errado parecem tão próximos? Nossos dias são os dos lobos disfarçados de ovelhas! Mal e bem se confundem, e andar pelo caminho correto exige mais discernimento. O texto que vamos examinar trata deste tema e nos orienta sobre como evitar tantos falsos profetas, disfarçados e mal-intencionados.

Continue lendo “08. Senhor, Senhor”

07. Não se preocupem

Devocional dos alunos da Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens. Esse devocional deve ser feito no dia 7 de dezembro. Leia o texto, medite sobre as perguntas no final e ore.
……………………..

Quanto devemos nos dedicar ao trabalho? Quanto precisamos nos importar com os bens materiais? As teologias humanas vão desde o desapego total dos monges, até a visão dos bens e do trabalho como elementos cultuais e redentivos. Os protestantes se convencem e se deixam convencer de que trabalhar e juntar bens é uma expressão de piedade cristã. De fato, o apóstolo Paulo ensinou aos tessalonicenses “Se alguém não quiser trabalhar, também não coma” 2Ts 3:10; por outro lado, disse aos coríntios “os que usam as coisas do mundo, (vivam) como se não as usassem” 1Co 7:31 e João escreveu “Não amem o mundo nem o que nele há” 1Jo 2:15. A verdade é que o Reino dos céus faz grande diferença entre o que é material e o que é espiritual, e nesse texto Jesus nos ensina sobre isso. Ao estuda-lo, aprendemos a exata medida para a nossa vida em um mundo onde ainda devemos comer, beber e vestir, mas que não se compara com o Reino de Deus e a sua justiça. Amplie a sua visão!

Continue lendo “07. Não se preocupem”