Destaque

E-book grátis sobre vocação

Faça o download gratuito do e-book Vocação Bíblica escrito pelo pastor José Bernardo. 46 páginas, 1 hora de leitura. Clique no link abaixo.

Vocação BíblicaClique aqui: Vocação Bíblica Vocação Bíblica (865 downloads)

Você pode seguir o autor no Face ou Istagram, procure por @josebernardo.job ou clique abaixo para ir para as páginas
Instagram  Facebook

Destaque

A geração Z e o retorno do Rei

A geração Z, os nascidos após 1995, são dominados pelas sensações daquilo que podem ver, ouvir, tocar. Por isso têm dificuldade em esperar até mesmo por coisas simples. A geração fast tudo não espera nada, então, como serão cristãos se o cristianismo repousa sobre as promessas do retorno do Rei? Sobre este assunto o pastor José Bernardo, presidente da AMME e da Escola de Liderança Pacificadores, escreveu uma série de ensaios curtos para pastores e líderes de jovens e adolescentes. Faça o download gratuito no link abaixo.

A geração Z e o Retorno do Rei
A Geração Z e o Retorno do Rei.

Clique aqui: GenZ e O Retorno do Rei (360 downloads)

Conteúdo do download
Prólogo: A Geração Z e O retorno do Rei
Ensaio I: Os nativos digitais
Ensaio II: Evangelhos sem Evangelho
Ensaio III: A asfixia da fé
Ensaio IV: Cansados de esperar
Ensaio V: Experimentar sem escolher
Ensaio VI: Micronarrativas escravizantes
Ensaio VII: Teologia fora de hora
Epílogo: Uma esperança para a Geração Z

#PACI20 Foi maravilhoso!

É difícil de relacionar todas as bênçãos que Deus nos deu na 14ª edição da Escola de Liderança da AMME para Jovens e Adolescentes – Pacificadores. Jovens de todas as regiões do país se reuniram por 15 dias, superando muitas dificuldades para absorver mais de 200 horas de um currículo intensivo de inteligência emocional, sobre o tema “O Corpo de Cristo”.  Na página oficial da AMME no Facebook e no site www.missaoamme.org você encontrará muitas fotos e testemunhos sobre essa edição. Agora já começamos a preparar o #PACI21.

PACI20 Foto oficial
Foto oficial do #PACI20 Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens – Pacificadores.

#PACI20 devocional 40

Com esse devocional concluímos nossa jornada de 40 dias meditando sobre textos em Provérbios que desenvolvem nossa inteligência emocional. Hoje começamos a orar pelos participantes do #PACI20.

#PACI20 devo40/40
“Quem repreende o próximo obterá por fim mais favor do que aquele que só sabe bajular” Pv 28:23. Semelhante ao devocional 36 em Provérbios 27:6 e outras referências, a repetição mostra a importância desse assunto. Literalmente, ‘O ‘endireitador’ de um homem, futuro, boa disposição ele vai encontrar desde [do que] o amaciador a língua’: a) “Quem repreende o próximo”, o uso do particípio para ‘direito’ enfatiza o resultado que o sujeito obtém, ele endireita a pessoa com quem se relaciona; b) “obterá por fim mais favor”, obterá, depois de corrigir, graça ou boa disposição; c) “do que aquele que só sabe bajular”, novamente o particípio fala de um sujeito que amacia com a língua, que deixa o outro suave e confortável pelas palavras que diz. Endireitar alguém produz melhor disposição do que deixar a pessoa confortável do jeito que está. Você endireita as pessoas ou simplesmente as deixa mais confortáveis?

Ore sobre isso:
a) endireitar alguém exige se meter na vida dos outros e, ainda pior, os outros se meterem em sua vida, isso exige generosidade – ore para que você tenha o desprendimento de ajudar as outras pessoas a melhorar; b) a tolerância que nossa sociedade prega é essa conversa confortante, que deixa cada pessoa fazer o que bem entende, apenas por egoísmo – ore para que sua mente não se contamine com esse modo de pensar do mundo.

Comente:
A pretexto de tolerância e aceitação, ninguém ajuda ninguém nesse mundo. Cada um na sua, é cada vez mais como as pessoas vivem. Será que esse mesmo egoísmo, que impede as pessoas de corrigirem umas às outras, afeta os crentes e a igreja? Comente sobre isso com os pacificadores. Use o link ‘comentários’.

#PACI20 devocional 39

#PACI20 devo40/39
“Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro” Pv 27:17. Literalmente, ‘Ferro no ferro vai afiar, e uma pessoa vai afiar a face do seu parceiro’: a) “Assim como o ferro afia o ferro”, a interpretação parece colocar a ênfase no processo, enquanto o original aponta para o resultado; b) “o homem afia”, a preposição acrescenta outro resultado; c) ‘afiar a face’, a NVI omite face interpretando como personalidade, mas pode significar ‘presença’, portanto, relacionamento, e ainda comportamento; d) “o seu companheiro”, parceiro, com ênfase no andar e fazer junto. A ideia é que assim como um ferro (faca, machado, espada) cumpre melhor sua função quando afiado, também o relacionamento (cara a cara) melhora o ‘funcionamento’ do parceiro em sua missão de vida. Seus amigos da lista ‘A’ ficam melhores conforme se relacionam com você? Você melhora em sua missão enquanto se relaciona com eles?

Ore sobre isso:
a) peça a Deus que seu relacionamento com as pessoas da lista ‘A’ melhore o ‘funcionamento’ delas; b) suplique ao Senhor que lhe dê sabedoria e oportunidade de se relacionar com pessoas que melhorem você; c) o texto fala de afiar como um resultado que incide diretamente sobre a missão do objeto, da mesma forma, uma pessoa só pode ser ‘afiada’ se conhece sua missão – ore ao Senhor para que seus relacionamentos tenham como base a sua missão delegada por Deus.

Comente:
Embora as gerações mais antigas reclamem bastante dos relacionamentos virtuais (o irônico é que virtual significa real), a Internet veio para ficar e sua capacidade de conectar pessoas só vai aumentar. Nesse caso, como podemos afiar a cara de um parceiro quando nos relacionamos através da Internet? Que podemos fazer para usar os recursos digitais de modo mais honesto, sincero, transparente e próximo? Use o link ‘comentários’.

#PACI20 devocional 38

#PACI20 devo40/38
“Não abandone o seu amigo nem o amigo de seu pai; quando for atingido pela adversidade não vá para a casa de seu irmão; melhor é o vizinho próximo do que o irmão distante” Pv 27:10. Literalmente, ‘De teu parceiro e do parceiro de teu pai não te afastes, e a casa de teu irmão tu nem entrarás no dia da tua opressão: Melhor é um residente (vizinho) próximo do que um irmão distante’. Embora inesperada, a tradução é bastante simples. Na primeira parte encontramos duas advertências que se completam: os parceiros, até aqueles mais velhos, amigos do pai, não devem ser deixados de lado e, na hora da aflição, não é o irmão (distante) que se deve procurar. A razão para isso é que é melhor o parceiro que mora perto, cuja amizade se deve cultivar e com quem se pode contar, do que o irmão que mora longe.

Ore sobre isso:
a) os laços de sangue são menos importantes do que os relacionamentos em que devemos investir e com que podemos contar – agradeça a Deus pelas pessoas em sua lista ‘A’, com quem você tem intensos relacionamentos; b) Jesus valorizou mais o seu relacionamento com aqueles que ouvem a Deus e o obedecem (Mc 3:35) – peça a Deus por sabedoria para cultivar relacionamentos verdadeiros e confiáveis com as pessoas certas; c) ore ao Senhor para que você possa desenvolver com sua família carnal este profundo relacionamento espiritual, de modo que eles se tornem verdadeiramente próximos.

Comente:
No passado recente da Igreja, os crentes valorizavam mais a família da fé, os irmãos em Cristo, do que os parentes conforme a carne. Há muitos versículos que apoiam isso. Hoje, como estamos? Os relacionamentos espirituais ainda são mais valorizados do que os carnais? Por quê? Comente sobre isso com os outros pacificadores. Use o link ‘comentários’.

#PACI20 devocional 37

Vamos terminar nossos 40 devocionais na quinta-feira dia 9. Naquele dia, vamos começar um período de 21 dias de oração pelo Pacificadores, cobrindo desde as viagens de vinda como as de volta. Para esse período vamos convidar intercessores que nos acompanhem em oração. Prepare-se para comprometer pelo menos cinco pessoas em orar por nós. Logo daremos mais detalhes.

#PACI20 devo40/37
“Perfume e incenso trazem alegria ao coração; do conselho sincero do homem nasce uma bela amizade” Pv 27:9. Literalmente, ‘óleo e incenso vai iluminar a mente e a doçura do conselho do parceiro, a alma’: a) “Perfume e incenso”, óleo, possivelmente perfumado e incenso – culturalmente usados para propiciar o humor das pessoas e de Deus; b) “trazem alegria ao coração”, coração sendo a sede dos pensamentos e intenções, é iluminado ou alegrado e encorajado; c) “do conselho sincero do homem”, a doçura do conselho do parceiro; d) “nasce uma bela amizade”, a alma (é iluminada). O conselho do parceiro é comparado com o uso de perfumes caros para animar as pessoas. Paulo disse que o conhecimento de Deus transmitido por nós é como aroma, cheiro de morte para quem se perde e fragrância de vida para quem se salva (2Co 2:14-17). Você é o perfume de Cristo em seus relacionamentos?

Ore sobre isso:
a) nas homenagens feitas a um general vencedor na capital usava-se muito incenso, de tal modo que o perfume se sentia em toda Roma, confesse ao Senhor se você é o cheiro da vitória de Cristo junto aos seus relacionamentos da lista ‘A’; b) o provérbio que examinamos destaca a qualidade do perfume e do conselho do parceiro de animar, encorajar, alegrar, peça sabedoria ao Senhor para que suas palavras tenham esse efeito sobre seus amigos; c) mas não é pela bajulação e condescendência que faremos isso, o bom perfume deve ser um verdadeiro conselho, consagre ao Senhor a sua vida, para ser sempre sincero em suas palavras aos amigos.

Comente:
É interessante como algumas culturas são mais sinestésicas (refere-se a tato, paladar e olfato) do que outras. Pode não parecer, mas nós somos mais capazes de entender este provérbio do que pessoas de outras culturas. A sinestesia tem a ver com a inteligência emocional. Nos referimos a situações com ‘isso não cheira bem’, por exemplo. Comente com os pacificadores outras situações em que usamos o cheiro para discernir as coisas. Use o link ‘comentários’.

#PACI20 devocional 36

#PACI20 devo40/36
“Quem fere por amor mostra lealdade, mas o inimigo multiplica beijos” Pv 27:6. Literalmente, ‘Sendo edificantes as feridas do amoroso, mas sendo excessivos (ou ilusórios) os beijos do ‘odiador’’: a) “Quem fere”, feridas ou hematomas; b) “por amor”, da pessoa que ama; c) “mostra lealdade”, da palavra construir, edificar; d) “mas o inimigo”, a pessoa que odeia; e) “multiplica beijos”, abundância ou excesso de beijos – sendo que a palavra é usada para ‘iludir’. Os tempos verbais indicam uma continuidade do amor e da edificação ou do ódio e da ilusão. O versículo anterior diz, semelhantemente, que é melhor o castigo descoberto do que o amor escondido. Os dois provérbios promovem a sinceridade sobre a dissimulação. Transparência, honestidade, integridade, chame como quiser: os relacionamentos dependem disso. A mentira, até quando parece boa é ruim, destrói amizades. Mesmo assim, administrar a sinceridade exige grande inteligência emocional. As pessoas acham mais fácil fingir.

Ore sobre isso:
a) confesse a Deus se você não tem agido com sinceridade para com as pessoas da sua lista ‘A’; b) peça ao Senhor sabedoria para falar sempre a verdade, mesmo que isso possa ferir de alguma forma; c) as Escrituras se referem à verdade em amor (Ef 4:15), então ore para que a verdade não se torne uma arma em sua boca; d) ser sincero é um traço de um caráter transformado, peça ao Senhor que atue em sua vida e lhe de um novo coração.

Comente:
Ainda ontem nosso devocional foi sobre bullying e falamos do cuidado que devemos ter para não ferir ninguém de brincadeira. Agora ouvimos que é melhor ferir para edificar do que beijar para iludir. Relacionamentos verdadeiros exigem bastante inteligência para escolher como agir, principalmente em uma sociedade que cada vez mais evita dizer a verdade. Comente com os pacificadores quando devemos dizer a verdade mesmo que ela possa ferir. Use o link ‘comentários’.

#PACI20 devocional 35

#PACI20 devo40/35
“Como o louco que atira brasas e flechas mortais, assim é o homem que engana o seu próximo e diz: ‘Eu estava só brincando!'” Pv 26:18,19. Literalmente, ‘Como  quem se queimando [é] o atirador de coisas que prendem, coisas que ferem e o que mata, assim a pessoa que atira (fig. engana, seduz, trai) em seu parceiro e diga, nada, eu [estou] brincando’: a) “Como o louco”, literalmente alguém que está se queimando; b) “que atira brasas e flechas mortais”, três coisas, ‘morte’ sendo uma delas; c) “assim é o homem que engana”, o termo é literalmente atirar, mas tem o sentido figurado de iludir ou trair; d) “o seu próximo”, qualquer nível de relacionamento, parceria; e) “e diz: ‘Eu estava só brincando!”, o adverbio de negação, minimizando a ação + da raiz ‘sorrir’, se divertir. E pensar que há quase três milênios o bullying já era descrito como ‘brincadeira’.

Ore sobre isso:
a) é falta de inteligência emocional ignorar quando uma brincadeira está escravizando, ferindo e até matando um parceiro, peça sabedoria a Deus para discernir o efeito de suas ações sobre as pessoas em sua lista ‘A’; b) examine suas ações e confesse a Deus se você tem minimizado atitudes destrutivas como brincadeiras; c) comprometa-se com o Senhor em fazer restituição, reparando o dano que suas ‘brincadeiras’ destrutivas possam ter causado aos outros.

Comente:
Quando fizemos, na AMME, a pesquisa que resultou no programa de evangelização anti-bullying ‘Caminho da Paz’, descobrimos que um sintoma de uma comunidade não estar preparada para enfrentar esse tipo de violência é não ter uma palavra correta para defini-la. Em português é brincadeira, zoação, gozação, tiração de sarro, o que faz o ato parecer inocente e inofensivo; dessa forma o bullying continua prendendo, ferindo e matando, principalmente os adolescentes. Uma das ações que propusemos foi chamar o bullying de ‘Violência Repetida entre Colegas’. Isso ajudou milhões de adolescentes a entender melhor essa estrutura maligna. Comente com os pacificadores outras ações que podemos por em prática para acabar com esse tipo de violência. Use o link ‘comentários’.

#PACI devocional 34

Nesta sexta-feira, 3 de janeiro, os missionários da AMME terão um dia inteiro de treinamento nas matérias do #PACI para estarem melhor preparados para ministrar para você. Quando orar, ore por eles. Cada missionário já tem estudado as matérias há várias semanas, e agora o treinamento exige muito mais deles.

#PACI20 devo40/34
“Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber” Pv 25:21. Paulo citou esse versículo e a explicação do verso seguinte, quando ensinou aos romanos viver em paz com todos (Rm 12:20). Literalmente, ‘Se faminto o seu ‘odiador’, você o fará comer pão e, se sedento, você o fará beber água’: a) “Se o seu inimigo”, o verbo no particípio indica um ódio continuado; b) “tiver fome… se tiver sede…, adjetivos no original indicam uma condição, não um evento; c) dê-lhe de comer… dê-lhe de beber, o tempo verbal enfatiza o fazer comer e beber, e não o dar alimento e bebida apenas, também é interessante ver que destaca a qualidade do que se faz comer e beber, pão e água, alimentação básica naquela cultura. A razão isso é tanto dar uma lição inesquecível como ainda ser suprido por Jeová. Você age desse modo?

Ore sobre isso:
a) quando Paulo citou esses versos ele queria evitar retribuir mal com mal e também a vingança, confesse a Deus se você ainda ‘paga na mesma moeda’ e tem desejos vingativos; b) pense em sua lista ‘A’ e veja se alguém tem agido como inimigo, dedique-se ao Senhor para cuidar das necessidades dessa pessoa; c) O versículo seguinte afirma que Deus vai suprir suas necessidades, enquanto você supre quem se opõe a você, agradeça a Deus por isso, louve-o por sua bondade e generosidade.

Comente:
Alguém comentou que ‘amontoar brasas’ no versículo seguinte é o suprimento de uma terceira necessidade: quando alguém deixava o fogão a lenha se apagar, se precisasse cozinhar com urgência, precisava ir pedir brasas na casa de um vizinho que tivesse o fogão aceso. Embora ficasse sem suas brasas, ser generoso e encher o vaso de barro carregado na cabeça seria também ser rigoroso, já que o vizinho negligente iria se queimando até em casa e talvez lembra-se de manter o próprio fogão aceso da próxima vez. Comente com os pacificadores de que maneiras atender as necessidades das pessoas que tem dificuldade de relacionamento conosco pode ensiná-las a conviver em paz. Use o link ‘comentários’.