#PACI20 devocional 07

#PACI20 devo40/07
“Quem faz o bem aos outros, a si mesmo o faz; o homem cruel causa o seu próprio mal” Pv 11:17. Literalmente, ‘recompensa a própria alma o homem que tem bondade; mas perturba seu corpo aquele que é cruel’: a) “Quem faz o bem aos outros” – na primeira frase há somente o verbo recompensar, ou tratar com justiça e integridade à própria alma, fazer o bem é uma interpretação de ‘tem bondade’; b) “faz o bem” – o termo usado para bondade é comumente aplicado ao amor de Deus; c) “o homem cruel” – ou feroz; d) “causa o seu próprio mal” – perturba ou agita o próprio corpo. O texto quer que o leitor entenda que o modo como age para com os outros, com bondade ou crueldade, afeta a si mesmo. Você tem bondade ou é cruel com as pessoas em sua lista? Sua alma sente-se premiada ou seu corpo perturbado?

Ore sobre isso:
a) suplique ao Senhor para entender e valorizar a recompensa que pode receber na alma; b) confesse ao Senhor se há crueldade, ferocidade, raiva, ira, maldade em você, pois isso prejudica seu próprio corpo; c) consagre-se ao Senhor para que ele encha o seu interior de bondade até que você abençoe as pessoas em sua lista ‘A’.

Comente:
Talvez você já tenha ouvido ou lido algum artigo médico que relaciona pecados como a mentira, a ira, o medo e outros a doenças físicas bem específicas. Fale sobre isso nos comentários para que outros pacificadores saibam também. Use o link ‘comentários’.

5 comentários em “#PACI20 devocional 07”

  1. Me lembro que após uma tragédia em minha família no ano de 2016, eu vivi muitos meses com um medo surreal, que tirava o meu sono, que me fazia ouvir coisas que não existiam, que controlou a minha vida. Fui ao médico diversas vezes naquele ano, até que após a última passada lá ouvimos (família) o médico me dizer que era um problema emocional, e não em minha saúde física especificamente, o que estava por dentro me fazia sentir coisas que às vezes não estavam acontecendo.
    Li em um livro ano passado, chamado psicanálise e a religião (inimigas ou parceiras?), de Waldecir Anacleto, que o corpo corresponde de fato com o que se tem vivido por dentro, e ele cita um ditado popular: “quando a cabeça não pensa o corpo padece”, quando o que está por dentro não está funcionando como deveria é notório a reação em nosso exterior.

  2. Tenho uma tia, chamada Antônia, ela sempre praticou o pecado da autocomiseração, sempre foi extremamente dramática afim de que os outros sentissem pena e a “ajudassem”. Alguns anos atrás alegou um problema na perna, e foi para MUITOS médicos, do SUS ao melhor hospital de São Paulo e todos disseram que era piscicologico, até que ela foi parando de andar, primeiro com um bengala, depois com um andador, até que hoje ela está em uma cadeira de rodas com os músculos da perna atrofiado e com obesidade a ponto de ser extremamente difícil retirá-la de casa, com apenas 67 anos. Isso é um grande exemplo pra mim e pra toda minha família do poder da nossa mente, como ela é capaz de nos ajudar muito e ao mesmo tempo nos prejudicar.

  3. Dizem que guardar rancor pode gerar câncer e acredito que isso é possível. Quando você deseja o mal para alguém, isso pode te afetar de tal forma que seu corpo pode sentir. Outra coisa também é, como a Camila Lelis disse, se você não está bem com seu emocional, afeta sua saúde física. Eu tenho ansiedade e asma. Muitas vezes em discussões com alguém, eu já passei mal de dar crise de ansiedade e, consequentemente, atacar a asma. Por exemplo: discuti com uma pessoa e fiquei tão nervosa que comecei a sentir falta de ar e a devocional fala sobre o homem cruel ou feroz causa o seu próprio mal, ou perturba ou agita o próprio corpo e é bem isso que acontece.

  4. Essa passagem é alto extremamente cotidiano, quando envenenamos nosso coração com inimizade, crueldades, intrigas, invejas e pecados, desta forma contribuímos com nossa auto destruição visto que nossa alma ou psiquê se mantém afetada pela mancha negra do pecado e além disso a.boca fala do que o coração está cheio, é visível uma autodestruição inconciente

  5. É perceptível que o jeito como nós tratamos as pessoas, influencia o jeito como elas nos tratarão, ou seja, caso falemos com grosseria, raiva etc, as pessoas tendem a nos devolver esse tipo de sentimento, causando assim relacionamentos conflituosos, ódio, rancor e diversos outros sentimentos que não são saudáveis nos nossos relacionamentos diários. Portanto é muito importante vigiar nosso próprio jeito de falar e como estamos nos relacionando com as pessoas, pois até mesmo sem perceber nós podemos estar tratando as pessoas com grosseria e crueldade, e consequentemente, as pessoas nos tratarão da mesma forma, pois como diz Pv 22:8, quem semeia maldade colhe desgraça e será castigado pelo seu próprio ódio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

plugins premium WordPress