#PACI20 devocional 35

#PACI20 devo40/35
“Como o louco que atira brasas e flechas mortais, assim é o homem que engana o seu próximo e diz: ‘Eu estava só brincando!'” Pv 26:18,19. Literalmente, ‘Como  quem se queimando [é] o atirador de coisas que prendem, coisas que ferem e o que mata, assim a pessoa que atira (fig. engana, seduz, trai) em seu parceiro e diga, nada, eu [estou] brincando’: a) “Como o louco”, literalmente alguém que está se queimando; b) “que atira brasas e flechas mortais”, três coisas, ‘morte’ sendo uma delas; c) “assim é o homem que engana”, o termo é literalmente atirar, mas tem o sentido figurado de iludir ou trair; d) “o seu próximo”, qualquer nível de relacionamento, parceria; e) “e diz: ‘Eu estava só brincando!”, o adverbio de negação, minimizando a ação + da raiz ‘sorrir’, se divertir. E pensar que há quase três milênios o bullying já era descrito como ‘brincadeira’.

Ore sobre isso:
a) é falta de inteligência emocional ignorar quando uma brincadeira está escravizando, ferindo e até matando um parceiro, peça sabedoria a Deus para discernir o efeito de suas ações sobre as pessoas em sua lista ‘A’; b) examine suas ações e confesse a Deus se você tem minimizado atitudes destrutivas como brincadeiras; c) comprometa-se com o Senhor em fazer restituição, reparando o dano que suas ‘brincadeiras’ destrutivas possam ter causado aos outros.

Comente:
Quando fizemos, na AMME, a pesquisa que resultou no programa de evangelização anti-bullying ‘Caminho da Paz’, descobrimos que um sintoma de uma comunidade não estar preparada para enfrentar esse tipo de violência é não ter uma palavra correta para defini-la. Em português é brincadeira, zoação, gozação, tiração de sarro, o que faz o ato parecer inocente e inofensivo; dessa forma o bullying continua prendendo, ferindo e matando, principalmente os adolescentes. Uma das ações que propusemos foi chamar o bullying de ‘Violência Repetida entre Colegas’. Isso ajudou milhões de adolescentes a entender melhor essa estrutura maligna. Comente com os pacificadores outras ações que podemos por em prática para acabar com esse tipo de violência. Use o link ‘comentários’.

7 comentários em “#PACI20 devocional 35”

  1. O bullying é um tema totalmente atual e que merece toda a pauta cristã para ser tratado e erradicado. O bullying gera consequências e cicatrizes emocionais, pode gerar também diversos distúrbios psicológicos, devemos ter o entendimento de que quem o prática é um agressor que fere diretamente o decálogo pois usa sua língua para a destruição.

  2. Sempre que uma ‘brincadeira’ não faz o outro sorrir é preciso prestar atenção, reconsiderar, parar. Se estou assistindo alguém receber esse tipo de ‘brincadeira’ eu interfiro! Nessa interferência questiono o agressor até que ele perceba que sua ‘brincadeira’ fere, destrói, mata!

  3. Se tem uma coisa que tenho evitado são as brincadeiras. Sempre penso como seria se fosse eu que estivesse recebendo as zoações e tiração de sarro.
    Obviamente no calor do momento será complicado escolher se colocar no lugar do outro antes de brincar.
    Mas, a empatia cabe muito bem como ponto para se priorizar nesses momentos, evitando machucar o próximo.

  4. Indiscutivelmente o bullying é uma arma e armadilha de destruição. Nossa vigilância espiritual precisa ser capaz de detectar o menor foco de bullying há km de distância, se quisermos não pecar nessa área. Deus tenha misericórdia de nós.

  5. INFELIZMENTE, sofri também… mas por “pouco tempo.”
    Pq como disse (repetição necessária) INFELIZMENTE, transformei a revolta em Defesa.
    Me tornei aquilo que me feriu, antes da minha conversão é CLARO.
    Cometia o Bullying com quem cometia comigo, cometia o bullying com quem cometia com os outros, cometia Bullyng com quem tentava tirar vantagem em alguma situação.
    Vergonha ? Sim, ou claro?
    Mas Jesus me encontrou, e digo mais… Ele transformou o Mal em Bem.
    Hoje, identificar qualidades mas pessoas E FALAR é meu “esporte” favorito! 😍
    .
    .
    .
    #DeusÉBom

  6. Já sofri muito bullying e ele é tão devastador que algum tempo atrás pude ministrar em um grupo de meninas adolescentes sobre o assunto e a cada encontro, as memórias voltavam e doíam.
    Precisamos estar sempre alertas!!
    Uma das práticas que adotei, é chegar diretamente na pessoa que esta praticando o bullying, e fazer ela ou ele enxergar quão prejudicial aquela “brincadeira” esta causando no próximo, se a pessoa não está rindo é pq não tem graça, se não tem graça, logo, não deve ser repetida.

  7. O bullying é um problema que está se agravando dentro dos relacionamentos entre jovens e adolescentes principalmente por ser considerado inofensivo e por isso, muitos se omitem ao se deparar com esse tipo de situação. Creio que uma forma de combater esse tipo de problema é deixar de se omitir, como diz em Tiago 4:17, quem pode fazer o bem e não o faz comete pecado, então que nós cristãos possamos nos impor nesse tipo de situação, e não tolerar nenhum tipo de zoeiras, apelidos e brincadeiras, que sabemos que podem levar a uma possível morte de uma pessoa, seja ela emocional, espiritual ou até física.

Deixe uma resposta para Matheus Antony Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *