#PACI20 devocional 33

Faça esse devocional nesta quinta-feira, 2 de janeiro de 2020.

#PACI20 devo40/33
“Não faça visitas frequentes à casa do seu vizinho para que ele não se canse de você e passe a odiá-lo” Pv 25:17. Literalmente, ‘Você deve fazer raro o seu pé na casa do seu parceiro, de outro modo ele ficará cheio de você e poderá odiar-lhe’: a) “Não faça visitas frequentes”, faça seu pé precioso, então raro; b) “à casa do seu vizinho”, parceiro, em qualquer tipo de relacionamento; c) “para que ele não se canse de você”, o termo é usado para ficar satisfeito ou ‘cheio’ de comida; d) “e passe a odiá-lo”, portanto, tratar como inimigo. É difícil olhar para esse provérbio sem lembrar do anterior, que manda controlar a gula para não ficar ‘cheio’ e vomitar, mesma palavra para ‘encher’ o parceiro. Aprendemos que algo só será gostoso se comermos pouco, e nossas visitas só serão boas se forem raras. Você sofre de ‘gula’ nos relacionamentos?

Ore sobre isso:
a) até mesmo o que pode ser uma virtude se torna um vício se estiver fora de hora e de controle – examine sua vida e confesse ao Senhor se você tem excessos; b) os excessos estão frequentemente ligados ao desequilíbrio emocional, inclusive no excesso de apego e dependência afetiva – se você sofre com isso, peça ao Senhor para curar você; c) pessoas muito ‘gulosas’ nos relacionamentos, sempre famintas por atenção, podem não ter vida própria, então querem viver a vida dos outros – se você é assim, peça ao Senhor para crescer em disciplina e adquirir controle interior (fruto do Espírito).

Comente:
O texto exorta ao leitor para tornar sua presença preciosa, tanto quanto um item raro, desejável, que os outros valorizam. Como fazer isso? Como tornar sua amizade e companhia preciosa para as pessoas da lista ‘A’? Comente sobre isso com os pacificadores. Use o link ‘comentários’.

6 comentários em “#PACI20 devocional 33”

  1. Isso é pesadíssimo!
    Deus vem trabalhando isso em mim a tempos.
    Já me peguei desesperada por estar em uma “sexta-feira livre” e coincidentemente meus amigos todos estarem ocupados, ou ‘OFF’ pra marcarem algo imediato.
    Me vi desesperada, sem saber por onde começar aproveitar meu tempo a sós.
    Rapidamente Deus me mostrou, que vivia mais para os outros, e com os outros do que com Ele, e para Ele… foi um tratamento árduo. (E não acabou)
    E é muito louco, porque tudo começa na boa intenção de servir, ser útil, ter comunhão…como isso pode ser ruim?
    Mas o exagero, torna-se negativo. Né ?
    Eu tenho uma tendencia intensa nata, com isso, exagerar é algo facil… Rsrs…
    “…podem não ter vida própria, então querem viver a vida dos outro.”
    Esse dia da “sexta livre”, foi só o começo….
    Nessa sequencia, precisei clamar a Deus por um Sonho que fosse dEle, para mim… e não para, nem com outros…
    Sigo tentando todo dia, dia após dia.

  2. Um relacionamento interpessoal baseado em companheirismo e de cunho cristão tem em vista uma independência e autonomia, principalmente dentro da casa do Senhor, onde a fé é individual. Fora da casa do Senhor devemos ter em vista o espaço individual, a privacidade, a vida pessoal, tendo consciência e evitando um possível abuso no relacionamento gerado a partir desse pecado.

  3. Os excessos são sempre indesejáveis. Expõem o descontrole daquele que excede, e que poderia fazer boa mordomia do seu tempo e recursos fazendo outra coisa, interagindo com outras pessoas ou mesmo em seu tempo de devoção ao Senhor, e por outro lado desgasta os relacionamentos que ficam sobrecarregados pelo excesso de uso. Que o Senhor nos ajude a ter equilíbrio.

  4. Quando nos apegamos emocionalmente idolatramos aquela pessoa a ponto de depender dela nossa felicidade e isso sufoca o outro. Por isso devemos dar espaço para nossos amigos pois todos têm obrigações no dia a dia e não podemos ver a necessidade de tempo como algo prejudicial a amizade.

  5. Tenho aprendido a lidar mais com os meus relacionamentos. Gosto muito de pessoas, tipo muito mesmo hahaha Leão de sangue aqui. Mas algum tempo notei que vivia em desequilíbrio. Sentia muito ciúmes dos meus amigos e queria que fossem só meus. Graças a Deus tenho vivido livre desse excesso e aprendido a lidar com esses relacionamentos.

  6. Sabemos que tudo que é em excesso e exagero acaba sendo demais, mesmo que sejam coisas boas inicialmente, caso não nos controlemos isso acaba se tornando algo desagradável. É interessante estudar esse texto e perceber que isso se aplica até mesmo dentro dos nossos relacionamentos e amizades. Eu vejo que para impedir esse exagero nos nossos amizades e para que sejamos realmente amigos raros e valiosos nós devemos saber nos controlar, demonstrar a endocracia, e saber que há o tempo certo para todas as coisas como diz em Eclesiastes 3:1, se soubermos dosar nossas amizades e saber quando estar próximo e quando dar espaço para as outras pessoas, seremos amigos bem mais valorosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *