#PACI20 devocional 29

#PACI20 devo40/29
“Não tenha inveja dos ímpios, nem deseje a companhia deles” Pv 24:1. Outro provérbio com advertência (v1) e explicação (v2) como é típico do terceiro livro. Literalmente, ‘Não serás ciumento de indivíduos maus, nem te inclinarás para estar com eles’: a) “Não tenha inveja”, ciúme, zelo; b) “dos ímpios”, homens ou indivíduos que são maus, maldosos, que causam aflições ou calamidades; c) “nem deseje”, se inclinar, desejar, ambicionar; d) “a companhia deles”, existir, estar, se tornar, com eles. O texto nos diz para não ter inveja, ciúme ou zelo, cuidado, interesse por pessoas más. Isso nos faz pensar em que, se não o mal, o que tais pessoas poderiam ter que provocasse interesse e até ciúme ou inveja. A razão para essa advertência é: a mente deles inventa violência e seus lábios propõe confusão. Não invejar e não desejar lembra a degradação a ser evitada no salmo 1 (Sl 1:1).

Ore sobre isso:
a) avalie se você já sentiu inveja de pessoas más e confesse isso ao Senhor; b) confesse ao Senhor se o mal e a maldade se tornaram interessantes para você; c) suplique ao Senhor para pensar como ele, abominando o mal e preferindo o bem; d) interceda pelas pessoas em sua lista ‘A’, para que não sejam seduzidas pelo que é mal.

Comente:
Vivemos em um mundo que perverte profundamente todos os valores. Nossa cultura, cada vez mais, prefere os bandidos aos mocinhos, os bad boys aos bons meninos, as devassas às certinhas… até os super-heróis de hoje são mais bandidos. Filmes e mídia provocam a inveja e desejo de imitar o ‘dark side da força’. Comente com os pacificadores porque o mal se tornou tão sedutor. Use o link ‘comentários’.

6 comentários em “#PACI20 devocional 29”

  1. Atualmente é extremamente comum até no meio do corpo o interesse por costumes do mundo, e isso pode criar confusão entre o pio e o ímpio, devemos entender aquilo que deve ser separado entre o joio e o trigo, deixar de tratar como careta aqueles comportamentos que deveriam ser destaques do Reino.

  2. O fato de serem bem sucedidos, não sofrerem danos aparentes por suas escolhas pode gerar inveja… As vezes vejo crentes expressando esse pensamento.
    Também o fato de a maldade não mais ser vista como maldade. Que o Senhor nos dê discernimento!

  3. Essa distorção de qualidades dos bandidos bem vistos, dos vilões serem de fato melhores que os mocinhos, gera até uma inversão de valores em nós, e em nossos pensamentos. É como se isso se tornasse comum de uma forma bem sútil, e quando nos damos conta já estamos imitando, invejando e desejando ser completamente iguais.
    Que o Senhor nos ajude nessa inversão de valores e conceitos. Que esse texto seja praticado!

  4. Uma advertência tão sucinta e clara como essa de PV 24:1, termina por ser transgredida quando em nosso coração, restam dúvidas na hora de identificar o que é o quê em cada situação: inveja, ímpios, desejo e companhia. Que o Senhor nos ajude em todo tempo, pois há ocasiões que só é possível discernir pelo Espírito.

  5. Penso que o mal se tornou tão sedutor devido a nossa natureza caída. Pensamos mais nas coisas deste mundo do que nas coisas do Reino. A cobiça dos olhos a soberba da vida tem facinado a muitos. Somos bombardeados o tempo todo por essas coisas. O certo é o errado, o bonito é o feio, a verdade é a mentira, o mocinho é o ladrão e por aí vai. A lista não tem fim. Precisamos continuar pregando a Palavra de Deus que é a verdade absoluta. Custe o que custar.

  6. Vejo que o mal está se tornando cada vez mais atraente, justamente pela aproximação dos fins dos tempos, do qual o amor está se esfriando, Mateus 24:12, e o mal continua a se perpetuar na nossa sociedade. Esse texto me lembra o que a filósofa Hannah Arendt dizia sobre a banalização do mal, atualmente nós vemos e lemos sobre tragédias que ocorrem no nosso cotidiano e isso vem se tornando algo comum, a morte das pessoas se tornou um ato normal, nem nos comovemos mais. Por isso, creio que a atração da juventude atual pelo mal, se dá primeiramente por aceitá-lo e abraçá-lo, esse mal deixou de se tornar algo tão ruim, e o Maligno aproveita disso para tornar a maldade mais atraente e afastar mais ainda os jovens e adolescentes dos caminhos do Senhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *