A boa notícia

“E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo como testemunho a todas as nações, e então virá o fim.” Mateus 24:14.

Durante seu ministério, Jesus ensinou constantemente sobre o fim dessa era e o julgamento final. Os discípulos queriam saber como poderia ser identificado o tempo da volta de Jesus e do fim de todas as coisas. Antes de responder, Jesus adverte aos discípulos para não se deixarem enganar. Haveriam eventos que pareceriam figurar o fim, mas uma grande obra deveria ser realizada antes disso: a pregação do Evangelho do Reino. Este é o início do quinto e último bloco de discursos de Jesus, que ocupa os capítulos 24 e 25.

Para entender esta afirmação de Jesus, sobre a tarefa a ser realizada antes do fim, é importante compreender cinco expressões usadas pelo Senhor: a) este evangelho, um substantivo nominativo indica que a boa notícia a que Jesus se refere será explicada em seguida; b) do Reino, artigo e substantivo genitivos indicam que é o Reino, ou seja, o governo absoluto de Deus em Cristo, que gera a boa notícia; c) todo o mundo, refere-se especificamente ao mundo habitado, com ênfase nas pessoas que devem ouvir a mensagem e não nos locais; d) como testemunho, a evidência fornecida por alguém que experimentou a notícia a ser dada, isto é, alguém que experimentou o Reino; e) todas as nações, agora o termo usado se refere às diferentes culturas, estabelecendo-se à ideia de que a comunicação transcultural do Reino é possível a partir da evidência da experiência pessoal de quem comunica.

Mateus começou seu evangelho dizendo que a boa notícia proclamada antes da vinda de Jesus foi a acessibilidade do governo de Deus em Cristo (Mt 3:2). Depois o evangelista disse que a mensagem proclamada por Jesus era a mesma, desde o início (Mt 4:17) e dai em diante (Mt 4:23). Da mesma forma, foi a mensagem do Reino foi ordenada aos discípulos como sua missão (Mt 10:7). Nesse verso, ouvimos que essa mensagem deve ser continuamente pregada até o fim de todas as coisas, a boa mensagem do Reino. De fato, todo o cristianismo se resume nessa boa notícia, o Reino de Deus pode ser experimentado, está próximo, está acessível. O Evangelho é o Reino e o Reino é Jesus!

Então, onde chegamos? Precisamos descomplicar nosso cristianismo e resumi-lo à soberania de Deus em Cristo. Precisamos excluir tantos interesses e atividades para pensar apenas na experiência e no testemunho do governo de Jesus sobre a nossa vida, em como é ser dirigido e comandado por ele. Que melhor notícia haveria para nós, quando estamos aflitos e desamparados, seguindo a perdição de nossos próprios caminhos? Porém, temos acumulado teorias, dogmas, tradições e costumes, adicionando cargas inúteis à nossa vaidosa religiosidade. Somente uma coisa é necessária: que nos humilhemos diante de Jesus e deixemos que ele guie cada aspecto de nossa vida: os sonhos, os planos, as ações e os resultados. Depois de experimentar isso, não teremos dificuldade em anunciar o evangelho a todas as pessoas e em todas as culturas. Teremos experimentado que o governo de Deus é bom e poderemos proclamar essa boa notícia a partir de nossa experiência.

Um comentário em “A boa notícia”

  1. Nós que experimentamos o reino de Deus temos a missão de passar esse conhecimento para outras pessoas para que elas também experimentem do reino.
    A pregação do evangelho é um dos sinais da volta de Cristo e um dever nosso como cristão, então que possamos nos esvaziar, nos encher de Deus e pregar a boa nova a toda criatura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *