07. Não se preocupem

Devocional dos alunos da Escola de Liderança da AMME para Adolescentes e Jovens. Esse devocional deve ser feito no dia 7 de dezembro. Leia o texto, medite sobre as perguntas no final e ore.
……………………..

Quanto devemos nos dedicar ao trabalho? Quanto precisamos nos importar com os bens materiais? As teologias humanas vão desde o desapego total dos monges, até a visão dos bens e do trabalho como elementos cultuais e redentivos. Os protestantes se convencem e se deixam convencer de que trabalhar e juntar bens é uma expressão de piedade cristã. De fato, o apóstolo Paulo ensinou aos tessalonicenses “Se alguém não quiser trabalhar, também não coma” 2Ts 3:10; por outro lado, disse aos coríntios “os que usam as coisas do mundo, (vivam) como se não as usassem” 1Co 7:31 e João escreveu “Não amem o mundo nem o que nele há” 1Jo 2:15. A verdade é que o Reino dos céus faz grande diferença entre o que é material e o que é espiritual, e nesse texto Jesus nos ensina sobre isso. Ao estuda-lo, aprendemos a exata medida para a nossa vida em um mundo onde ainda devemos comer, beber e vestir, mas que não se compara com o Reino de Deus e a sua justiça. Amplie a sua visão!

A Palavra de Deus: Mateus 6:25-34
25 “Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa? 26 Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? 27 Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida?
28 “Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. 29 Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. 30 Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé? 31 Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer?’ ou ‘Que vamos beber?’ ou ‘Que vamos vestir?’ 32 Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. 33 Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.
34 Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.

[V] Observem as aves do céu
Portanto eu lhes digo, a preposição usada no início dessa seção explica que o que Jesus vai estabelecer como argumento conclusivo, se relaciona com o discernimento do que foi dito antes. Mateus nos preparou para o ensino e a pregação do Evangelho do Reino dos céus. Esse ensino começou com os ‘novos dez mandamentos’ de Jesus, a correção na compreensão e interpretação das Escrituras e a correção nas obras de justiça. Desde o versículo 25 e até 7:6, veremos Jesus tratando de dois assuntos cotidianos básicos, o trabalho e a riqueza, as pessoas e os relacionamentos. Esses dois temas foram contemplados nessa ordem na oração que o Senhor ensinou, o pão de cada dia e o perdão das dívidas.

O que Jesus disse antes, do versículo 19 ao 24, e que leva aos argumentos conclusivos adiante, é que a riqueza material perece, mas a espiritual permanece, os interesses materiais confundem, mas os espirituais orientam, e que não é possível servir a Deus e às riquezas ao mesmo tempo. Depois, nos versículos 31 e 34, o argumento conclusivo é reforçado com o uso de uma conjunção também traduzida como ‘portanto’.

  • Qual o argumento conclusivo de Jesus e em que ele se fundamenta? 25 “Portanto eu lhes digo: Não se preocupem com sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa?  
  • Que lição sobre o assunto os discípulos poderiam tirar de observar as aves? 26 Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? 27 Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja à sua vida? 
  • Que lição sobre o assunto os discípulos poderiam tirar de observar as flores? 28 “Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. 29 Contudo, eu lhes digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. 30 Se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada ao fogo, não vestirá muito mais a vocês, homens de pequena fé?  
  • Como Jesus repete o argumento conclusivo e que razão lhe dá? 31 Portanto, não se preocupem, dizendo: ‘Que vamos comer?’ ou ‘Que vamos beber?’ ou ‘Que vamos vestir?’ 32 Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. 33 Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.  
  • Como o argumento conclusivo é colocado pela terceira vez e que razão recebe ainda? 34 Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia o seu próprio mal.

[O] Vejam como crescem os lírios
Jesus estava ensinando e pregando o Evangelho do Reino. Nessa passagem que estudamos ele opõe diretamente os interesses materiais de um lado e o Reino de Deus de outro. Não há meia medida aqui, é uma coisa ou outra. Materialismo e secularismo têm atacado novamente a igreja e muitos começam a pensar que o apego ao trabalho e aos bens é normal para o cristão. Esse texto nos desafia a pensar diferente. O que é mais importante? O que tem mais valor? Um é o pensamento dos pagãos e outro é o pensamento dos súditos do Reino.

  • Qual a motivação para esse texto?
  • Qual é a ação central apresentada?
  • Que reação é esperada a partir do texto?

[S] O Reino de Deus e a sua justiça
Em um momento em que a importância das coisas materiais estava trazendo muito problema no relacionamento entre os crentes, o apóstolo Paulo disse “Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo” Rm 14:17. Para muitos crentes, no entanto, as coisas materiais competem em importância com as coisas espirituais. Considerando o que aprendemos de Jesus no texto que examinamos, como você aplica isso à sua própria vida?

  • Que coisas o texto lhe diz para diminuir?
  • Que coisas o texto lhe diz para aumentar?
  • Que coisas o texto lhe diz para dividir?
  • Como o texto lhe orienta para multiplicar?

……………………..

De 6 a 20 de janeiro em Ibiúna – SP
De 2 a 5 de março em Campina Grande – PB

5 comentários em “07. Não se preocupem”

  1. É interessante também pensarmos que somos mordomos do Senhor. Tudo o que temos de material e nosso dinheiro pertencem a Ele. E se mantermos o coração no que é eterno, continuamente glorificaremos ao Pai por tudo o que Ele nos dá.

  2. Diminuir as preocupações,  a vontade de ter tudo,  o se matar pra ter o trabalho que acaba tirando meu tempo com Deus, diminuir a confusão em mente de que viver pra Cristo é vergonhoso.

    Aumentar a confiança em Deus, a crença de que Ele cumpre cada promessa dada e que somos seus filhos amados e que tudo quanto fizer e tudo quanto  Ele dar não é o que queremos ou merecemos, é somente o necessário.

    Dividir  aquilo que é material do espiritual e perceber quão importância tenho dado ao material, como tem sido uma fuga pra um objetivo que quer suprir aquilo que Deus já faz.

    Multiplicar meu relacionamento com Deus, pra que dessa forma eu viva de maneira sábia, sem preocupação com o amanhã, sem dividir meus interesses.  Sem ter medo de acreditar no que Ele pode fazer e suprir.

  3. Nós somos constantemente postos diante de situações em que nos fazem acreditar que é pela força de nosso braço que conseguimos o sustento, a vestimenta, etc.

    Lançar sobre Jesus nossas preocupações e entender que ele cuida de nós é também lançar a confiança que temos em nós mesmos. “Se nao fosse o Senhor” tem que estar no lugar de “se não fosse eu”, e constantemente esse texto de Mateus deve ser lido, pois precisa confrontar a carne que é está sempre tendenciosa a auto-suficiência.

  4. Atualmente muitas pessoas passam noites sem dormir por preocupações como: comida, roupas, bebidas e muitas outras coisas, porém podemos perceber que Deus é a nosso provisão e nos orienta que nós não precisamos correr atras destas coisas porque assim como Deus dá de comer as aves e veste as flores do campo, também Deus nos vestirá e nos dará de comer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *